Depois de uma marcha lenta e de terem bloqueado avenidas do centro de Vila Real, os agricultores aprovaram uma moção com oito reivindicações e destaque para a proibição de venda dos produtos abaixo do preço de custo.

A pé, em tratores ou em carrinhas, os agricultores transmontanos juntaram-se hoje, em Vila Real, e percorreram em marcha lenta cerca de três quilómetros entre a zona do Regimento de Infantaria 13 (RI13) e a praça do município, onde terminou a ação de protesto convocada pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA).

Junto à praça do município bloquearam as avenidas 1.º de Maio e a Carvalho Araújo, as principais artérias da cidade de Vila Real.

“Defendemos uma medida muito concreta de proibição da venda abaixo do preço de custo em toda a fileira e, enquanto isso não for estabelecido, isso não se resolve. Há uma coisa muito importante, é que não são os agricultores que fixam o preço. O preço é fixado pela indústria ou pela grande distribuição e os agricultores não têm hipótese, ou vendem ou ficam com os alimentos em casa”, afirmou Pedro Santos, dirigente da CNA.

O responsável disse que o protesto de hoje visa já o próximo Governo, que será eleito a 10 de março.