Luis Ferreira

Luis Ferreira

Moedas de troca

Tudo o que fazemos na vida tem como objectivo receber algo em troca, mesmo que se diga que não. Se alguém pensar que o contrário é válido, é porque não conhece a realidade e a velocidade com que a vida passa por nós.
A verdade é que quando nos parece que algumas pessoas fazem por bem determinadas acções e tomam atitudes que nos parecem desinteressadas, lá se vem a descobrir mais tarde que afinal havia alguma coisa por detrás dessas movimentações. Isto faz parte da natureza humana. Até o titânico esforço de sobrevivência do mais humilde e abandonado dos homens tem um objectivo: o de se manter vivo!
Assim, temos sempre uma moeda de troca em tudo o que se nos depara. Da política ao confronto, da paz à guerra, da pobreza à riqueza, da guerra à opressão, da vida à morte, em todas estas bipolaridades existe a moeda de troca.
Portugal é igual aos outros países e tem os mesmos interesses. Temos uma economia de rastos, mas somos senhores de grandes riquezas e donos de grandes bancos. É só notarmos a família Salgado, o banco de que são donos e as off-shores que controlam ou pensavam controlar. Neste caso, a moeda de troca parece não ter grande valor! Deve ser feita de latão! Deus queira que não venha a estragar o ouro que ainda circula nas notas de cinco euros!
E que moeda de troca procuram Costa e Seguro? A luta é renhida e deve merecer boa moeda em troca de tanto esforço. Mesmo que digam que há duas moedas, é mentira. É só uma e enquanto a não ganharem não descansam. A liderança do partido é apenas um degrau a subir para mais perto ficar da moeda sorridente que se posiciona no topo. Qual deles lá chegará?
Ultimamente e para desgraça de milhares de pessoas, Israel resolveu que deveria pôr em sentido um dos braços armados palestinianos na faixa de Gaza. A moeda de troca é bem visível, mas a que preço poderá ser ganha? O Hamas, qual formiga entre as patas do elefante, não teme as pisadelas, mas queixa-se das dores provocadas pelos encontrões tremendos que lançam choros de morte nas crianças indefesas e que nada percebem destes jogos onde se procuram moedas de troca!
Ainda e sempre em Portugal, que procurará Sócrates em todos os comentários que faz gratuitamente, segundo diz? A ficar esquecido nos meandros da política, a notícia saída a público sobre o seu envolvimento no caso Monte Branco, deu-lhe a oportunidade de voltar aos écrans televisivos para se defender do facto de estar a ser vítima de alarmantes calúnias da comunicação social. Não parece haver moeda de troca? Há, sim senhor! E até a empresa dos vinhos Monte Branco já vieram reclamar desta nefasta publicidade à sua marca e com razão. Claro, também com moeda de troca.
E que dizer de Passos indicar a Jean-Claude Juncker, Moedas como Comissário Europeu? Deve ser o único caso onde em vez de uma há duas moedas de troca! Pois é! O filho do Zé Moedas de Beja, engenheiro civil e rapaz das direitas, embora o pai fosse um comunista dos de certo, apanhado nas boas graças de Coelho, foi chamado na altura da vitória para bem próximo do governo e agora guindado a comissário europeu. Uma moeda para receber em troca outra moeda. Qual valerá mais? A que vai ou a que se espera que venha?
Esperamos que este rapaz, secretário de Estado Adjunto, que estudou no Técnico, passou por Harvard e trabalhou na Goldsmansachs, desempenhe um papel muito maior do que a sua altura, embora saibamos que os homens não se medem aos palmos! Do seu currículo, só não gostei do trabalho na Goldsmansachs por esta estar ligada aos tais ratings que nos avaliam e corrompem! Espero bem que a moeda de troca também não saia furada!


Partilhar:

+ Crónicas

Por trás da corrupção

Trapalhas em S. Bento

50 amos de memórias

E se acorda rebentar?

E agora?

Será que vale tudo?

O assassino da liberdade

Só promessas

O Mundo em Chamas

De lés a lés

A aliança do desespero

O que nos querem vender?